Texto-modelo (Aula 2), por Felipe Mello

“O mundo do século XXI é dessa forma por causa da Revolução Francesa, por causa das ações de Martin Luther King, por causa da resistência às ditaduras da América do Sul.” Assim é a conclusão a que o Felipe chega, após ter analisado os movimentos rebeldes ao longo do tempo. O colega defende que alguma situações merecem ser confrontadas, em nome de um bem maior, e cita como exemplos casos bastante atuais, como a postura de alguns artistas, na estrega do Oscar 2015. Parabéns, Felipe, pela análise sobre a postura rebelde na sociedade atual! O título, bastante expressivo (por brincar com a famosa expressão “rebelde sem causa”), já anuncia o engajamento com que você defenderá a sua tese.

Rebeldia com causa

Ainda que seja comum a ideia de que “deve-se respeitar os mais velhos”, sabe-se que nem sempre a obediência irrestrita a padrões tradicionais é a postura mais adequada. A rebeldia, em muitas situações, pode incitar mudanças positivas na esfera social.

A rebeldia social pode ser acarretada por uma multiplicidade de injustiças sociais que tendem a violar os direitos humanos básicos para a convivência social. Atitudes preconceituosas como o racismo, a homofobia ou o machismo verificam-se afrontas a uma grande parcela da população que acaba sendo marginalizada do mundo por não deter os mesmo privilégios que a elite dominante. Situações de ditadura e tirania também podem surtir levantes na medida em que a repressão social e a censura aplicadas cerceiam as liberdades individuais da população já que não permitem a plena expressão do pensamento.

As respostas a essas situações vêm nas mais variadas formas, que geralmente acabam por envolver grandes grupos de pessoas conferindo a devida importância a esses movimentos sociais. Seja em forma de textos ou passeatas, a rebeldia social tem o poder de conscientização popular, o que é uma imensa vantagem, considerando que esse é o primeiro passo para a mudança e para a mobilização. Ademais, também é capaz de promover o engajamento político e o debate de ideias que seriam prerrogativas mínimas para a manutenção da cidadania. Outro efeito positivo de rebeliões no âmbito social é que estas podem transcender para a esfera cultural, já que muitas manifestações ocorrem em formato de músicas, livros e filmes. Eventos televisionados de grande alcance mundial já se mostraram palco para diversos gritos contra as injustiças do mundo contemporâneo. A cerimônia do Oscar de 2015 contou com diversos discursos defendendo a igualdade de gêneros e a igualdade racial. Mas, talvez, mais impactante tenha sido na entrega do mesmo prêmio em 2003, quando o documentarista Michael Moore, após receber o prêmio, comunicou ao mundo sua insatisfação e indignação com a escolha do então presidente Bush de ir à guerra contra o Iraque. Conscientizando todos da situação, o efeito de seu discurso dura até hoje.

Dessa forma, tem-se a força e o impacto que rebeldias e movimentos sociais causam no mundo. O mundo do século XXI é dessa forma por causa da Revolução Francesa, por causa das ações de Martin Luther King, por causa da resistência às ditaduras da América do Sul. Esse princípio básico da democracia é vital para o desenvolvimento social.

 Felipe Bandeira de Mello, 3H1

Texto-Modelo (aula 1), escrito por Pedro Forbes

Abaixo, vocês poderão ler mais um texto muito bem escrito na aula 1. O colega Pedro Forbes, da turma 3H1, analisa a presença de assuntos polêmicos nas telenovelas brasileiras, dando ênfase às limitações que as narrativas têm em si. Essa “limitação” é anunciada já no título, que brinca com um exemplo citado no texto: em lugar de Insensato coração, o título do texto é Insensata identificação. Legal, Pedro!
Insensata identificação
     As telenovelas, uma das formas de entretenimento mais presentes na maioria dos lares do país, mostraram-se capazes de mobilizar as pessoas em torno de seus enredos, de suas personagens e especialmente de suas polêmicas. No entanto, nem sempre as discussões que suscitam trazem transformações positivas à população.
     A exposição de temáticas polêmicas em telenovelas vem ganhando importância por diversas razões. Pelo fato de incluir temas tabus intercalados com situações cotidianas, o aspecto controverso de um determinado assunto é humanizado, uma vez que as personagens relevantes no contexto experimentam as situações pelas quais muitas pessoas passam silenciosamente na vida real – preconceitos, perjúrios -, ocasionando a identificação com esse ou aquele personagem, etapa essencial para que o fim de envolver o público e gerar nele a reflexão crítica seja alcançado de forma bem-sucedida. Dependendo do nível de apelo e de quão bem a polêmica esteja retratada, até os setores mais conservadores podem questionar alguns valores tidos como dogmáticos e, mais ainda, alavancar um debate nacional em torno da questão, com todos estando aptos a deixar seus pareceres e pontos de vista em fóruns e outros tipos de mídia. Um exemplo que ilustra magistralmente este fator é a telenovela Amor à Vida, trama na qual foi reproduzido o primeiro beijo homossexual em telenovelas brasileiras. Tamanho avanço só foi possível pela crescente aceitação da homossexualidade pela população, sendo que tal temática se manteve sempre em voga, devendo essa notoriedade, em grande parte, às novelas do horário nobre, que passaram a trabalhar o conteúdo com mais profundidade a partir de Insensato Coração, de 2009.
     Por outro lado, temas polêmicos nem sempre são tão bem aceitos, ainda esbarrando em diversos obstáculos. A inflexibilidade própria de algumas camadas sociais é um desses fatores limitantes. Para muitas pessoas, os valores tradicionais acerca de algumas matérias não são encarados como uma variedade válida de se enxergar ou pensar algo, mas sim como o “correto”, a “única alternativa”. Este hábito provoca rejeição ao tema apresentado mesmo antes de sua exibição. Outro ponto importante a ser citado é o distanciamento da trama em relação à vida real, o que não torna possível a identificação entre telespectador e personagem, portanto, podendo não estimular reflexão alguma. A novela seria, então, mero entretenimento e distração de todas as noites.
     Em suma, as telenovelas são plenamente capazes de fazer mais que simplesmente envolver o público com um enredo bem costurado, fazendo-o questionar seu meio e suas ações ao ver-se a si mesmo na televisão. Porém, existem limitações que podem fazer naufragar uma boa temática, se não for bem tratada.
Pedro Forbes de Queiroz Ferreira