Texto-modelo – Aula 9 (Sérgio André Cristovão)

Mais um texto da aula 9! O texto do Sérgio apresenta ótima linguagem, com precisão vocabular e boa construção frasal. Assim, seus argumentos sobre as expectativas acerca da ministra Cármen Lúcia tornam-se muito mais claros e, portanto, consistentes. Vejam como suas afirmações são bem trabalhadas, não deixando espaço para dúvidas do leitor. Este é um bom exemplo de que argumentar não é apenas afirmar o que se pensa: é preciso justificar suas ideias – o que o Sérgio faz a partir de seus conhecimentos sobre o Judiciário brasileiro e o cenário político atual.

Boa leitura!

 

As empreitadas de Cármen Lúcia

Desde sua posse como presidente do STF, em setembro de 2016, a juíza Cármen Lúcia vem fazendo uma administração corajosa e inovadora, que contrasta com a preguiça e inércia do mandato de Levandowski. Entre seus principais objetivos, é importante destacar sua cruzada contra a ineficiência do Judiciário e as regalias excessivas destinadas aos funcionários públicos dessa área. Apesar da reação contrária de grupos afetados pela tentativa de mudança do “status quo”, como juízes e procuradores, as pautas levantadas pela ministra são essenciais no atual momento de crise e merecem ser apoiadas pela população.

A ineficiência do Judiciário brasileiro é algo custoso à sociedade: todos os dias, milhares de brasileiros sofrem com sentenças questionáveis, demora no andamento dos processos e uma infinitude de procedimentos burocráticos que encarecem e atrasam o andamento das ações. O resultado disso é severo para a sociedade: a demora dos vereditos, por exemplo, gera a sensação de impunidade, o que, por sua vez, acarreta a perigosa noção de que as leis não precisam ser respeitadas, tanto em instâncias menores quanto em maiores. Um bom exemplo disso são os diversos escândalos de corrupção sucessivos, protagonizados por políticos influentes, como evidenciado pelas diversas operações contra a corrupção pela Polícia Federal. Caso os processos fossem mais objetivos, teriam os políticos envolvidos nesses esquemas tanto espaço para desrespeitarem as leis, serem processados e adiarem os julgamentos para o arrefecimento da opinião pública e um possível adiamento eterno do processo? Com o aumento da previsibilidade e transparência sinalizadas por Cármen Lúcia, será possível corrigir essas deficiências do judiciário e garantir uma maior confiança nas leis por parte da população.

Outro problema importante a ser resolvido é o excesso de regalias da máquina pública. Em um país em crise financeira e com sucessivos déficits nas contas dos governos, é inaceitável que as associações de membros do alto escalão do Judiciário tenham conseguido manter benefícios surreais custeados pelas contas públicas, como salários exorbitantes, auxílios para bens supérfluos como ternos e garantia quase incondicional de estabilidade. Com ações que gerem o corte dos próprios gastos do STF, como o controle das diárias em viagens oficiais, Lúcia estará dando exemplo para os demais funcionários públicos sobre a importância da austeridade, o que é algo vital para reduzir os déficits financeiros e recuperar a confiança na integridade dos integrantes do alto escalão do Estado brasileiro.

Portanto, as medidas de Cármen Lúcia são essenciais para resolver problemas sérios que o país, atualmente, enfrenta e, caso sejam bem-sucedidas, poderão simbolizar um bastião da decência e boa governança no meio da atual crise moral e econômica.

            Sérgio André Cristovão