Texto-modelo da aula 4 – Celina Oshiro

A Celina Oshiro, da 3B1, redigiu ótimos parágrafos conclusivos e um título criativo para o texto sobre a validade das informações que encontramos na Internet, fornecido na aula 4. Com excelente linguagem e cuidadosa coesão, a aluna retoma, na conclusão-resumo, os principais aspectos desenvolvidos no texto-base e, na conclusão-proposta, apresenta sugestões factíveis e muito bem detalhadas. Se fosse no Enem… Confiram!

Título: Alerta! Vírus da ignorância detectado

Conclusão-resumo

Em suma, o enorme volume de fontes contendo informações desprovidas de embasamento acarreta o alastramento de conhecimentos duvidosos e até mesmo errôneos. Embora haja sites confiáveis, cujo acesso tornou-se viável e simples com a internet, discerni-los dentre terabytes de páginas de conteúdo questionável, protegidos por princípios como a liberdade de expressão, é tarefa árdua e complicada a qual a expressiva maioria das pessoas não possui empenho ou capacidade para realizar.

Conclusão-proposta

Tendo em vista essa alarmante difusão de conhecimentos dúbios, seria possível desenvolver-se uma extensão de navegador para minimizar as chances de internautas dependerem de informações incertas. Tal ferramenta, que estaria disponível para download, funcionaria integralmente enquanto o navegador – programa pelo qual se acessam sites na internet – estivesse aberto e utilizaria o sistema de “cross-data” ou data crossing (verificação de ocorrências comuns em localidades diferentes) entre os principais resultados de busca de sites, como o próprio Google. Esse sistema permitiria consultar e até analisar a frequência com que ideias de diversas fontes aparecem em páginas amplamente consultadas, diminuindo as chances de pessoas utilizarem informações incorretas e divulgando para uma parcela destacável dos internautas tais dados adquiridos. Quanto ao seu desenvolvimento e programação, ONGs, faculdades relacionadas à informática e inclusive o MCTIC – Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovação e Comunicações – poderiam encarregar-se de praticá-los.

Celina Oshiro